css sfondo


A história da borracha

A Borracha Natural é o produto sólido obtido pela coagulação de látices de determinados vegetais, sendo o principal a Hevea Brasiliensis. Essa matéria-prima vegetal, proveniente da planta conhecida vulgarmente como seringueira, é nativa d Amazônia. Embora seja grande o número de espécies que por uma incisão na casca exsudam secreção de aspecto semelhante ao látex, somente algumas produzem quantidade e qualidade suficientes para exploração em bases econômicas.

O primeiro contato do mundo civilizado com a borracha ocorreu com a descoberta do produto natural, feita por Cristóvão Colombo, na sua segunda viagem ao Novo Mundo, em 1493-1496. Na época, os nativos da América tropical utilizam a borracha apenas para a impermeabilização de tecido de linho, para a confecção de garrafas e calçados sobre moldes de barro e para fazer bolas que eram usadas em jogos. Essa produção se dava a partir do látex, um líquido leitoso exsudado de árvores locais.

Na Inglaterra, em 1823, Mackintosh utilizou a borracha seca - previamente mastigada em uma máquina inventada por Thomas Hancock, em 1820, e a seguir dissolvida em solventes para fazer roupas impermeáveis. Nos Estados Unidos, em 1831, foram fabricados calçados a partir de tecido revestido com uma solução de borracha em terebintina.

Quanto à aparência, esses calçados eram similares aos importados, feitos a partir de látex nas regiões produtoras dessa matéria-prima - O Látex, nessa época, não era exportado, pois ele tende a se coagular espontaneamente e a possibilidade de preservá-lo na forma líquida com amônia só foi descoberta em 1853. Mas, apesar da semelhança com os modelos feitos a partir de látex, os calçados fabricados com solução de borracha sólida mastigada não eram satisfatórios para uso, pois a borracha tornava-se mole com o calor e rígida com o frio.

Esses inconvenientes da utilização da borracha a invenção do pneumático, feita por John Boyd Dunlop em 1888, e o início da produção comercial de veículos movidos a motor de combustão interna, que ocorreu na primeira década do século XX.

Em 1815, Hancock, um serralheiro, tornou-se um dos maiores fabricantes do Reino Unido. Ele havia inventado um colchão de borracha e associado a Macintosh, fabricava as famosas capas impermeáveis "Macintosh". Além disso, havia descoberto e realizava industrialmente o corte, a laminação e a prensagem da borracha. Tinha verificado a importância do calor na prensagem e construído uma máquina para este fim.

Macintosh descobriu o emprego da benzina como solvente e Hancock preconizou a prévia "mastigação" e aquecimento, para obter uma perfeita dissolução da borracha. Hancock descobriu também a fabricação de bolas elásticas. Por fim, Hancock, em 1842, de posse da borracha vulcanizada de Goodyear, procurou e encontrou o segredo da vulcanização, fazendo enorme fortuna.

Em 1845, R. W. Thomson inventou o pneumático, a câmara de ar e até a banda de rodagem ferrada. Em 1850, fabricavam-se brinquedos de borracha, bolas ocas e maciças (para golfe e tênis). A invenção do velocípede por Michaux, em 1869, conduziu à invenção da borracha maciça, depois da borracha oca, por último, à reinvenção do pneu, pois a invenção de Thomson havia caído no esquecimento. Payen estudou as propriedades físicas da borracha, do mesmo modo que Graham, Wiesner e Gérard.

Finalmente, Bouchardt realizou a polimerização do isopreno, entre 1879 e 1882, obtendo produtos de propriedades semelhantes à borracha. O primeiro pneumático para bicicleta foi em 1830. Em 1895, Michelin teve a ideia audaciosa de adaptar o pneu ao automóvel. Desde então, a borracha passou a ocupar um lugar preponderante no mercado mundial.

Em 1876, os ingleses despertados pelo interesse comercial do produto, levaram 70.000 mil sementes de seringueira para a Inglaterra. As 2.700 plantas obtidas no Kew Gardens, em Londres, foram enviadas para o Ceilão, atual Sri-Lanka e para a Malásia e, serviram para a formação as grandes plantações asiáticas, sendo explorada por milhões de pequenos produtores, com áreas de 1 a 5 hectares, tendo na seringueira sua única fonte de renda.

A tremenda demanda de brracha natural no século XIX favoreceu o crescimento das plantações da Ásia. O Brasil, antes que as plantações asiáticas se desenvolvessem, era o principal produtor mundial de borracha de origem silvestre.

O Sudeste Asiático responde hoje por 92% da produção mundial, sendo a Tailândia, a Indonésia e a Malásia os principais países produtores. Atualmente, a cultura estende-se ainda por países da África e América Latina.

Os primeiros registros sobre a utilização da borracha datam do início do século XVIII, quando a nação indígena dos Cambebas já a utilizava, pelas suas propriedades, tais como: Fabricação de botas, capas, bolas, flechas incendiárias e, ainda, para deter hemorragias, cicatrizar ferimentos e proteger-se contra o frio.

Além do crescimento na produção de borracha vegetal, a procura da síntesa química desse produto, assim como a demanda de borrachas especiais, resistentes a derivados de petróleo, ao calor, ao frio e ao ozônio, determinou o aparecimento de inúmeras borrachas sintéticas no mercado.

A primeira borracha sintética fabricada comercialmente surgiu em 1910, quando a Alemanha produziu 2.350 toneladas da borracha química denominada metílica. Depois foram, e são ainda hoje, desenvolvidas inúmeras outras borrachas sintéticas.

Sendo a borracha importante matéria-prima e dado o papel que vem desempenhado na civilização moderna, cedo foi despertada a curiosidade dos químicos para conhecer sua composição e, posteriormente, sua síntese. Desde o século XIX vêm sendo feitos trabalhos com esse objetivo, logo se esclarecendo que a borracha é um polímero do isopreno.

Os russos e os alemães foram os pioneiros nos trabalhos de síntese da borracha. Mas os produtos obtidos não suportaram a concorrência da borracha natual. Somente com a Primeira Guerra Mundial, a Alemanha premida pelas circunstâncias, teve de desenvolver a industrialização de seu produto sintético. Foi o marco inicial do grande desenvolvimento da indústria de borrachas sintéticas, ou elastômeros, no mundo.



Logo Empresa   LÁTEX CENTRIFUGADO 60%
Rod. Brig. Faria Lima, Km 403 – Zona Rural
Caixa Postal: 97 – CEP 14770-000
COLINA/SP
Telefone: (17) 3341-3300
  BORRACHA NATURAL – GEB-10
Est. Vicinal Mario Gonçalves, Km 4,5 – Zona Rural
Caixa Postal: 17 – CEP 15160-000
POLONI/SP
Telefone: (17) 3819-1217
  © Colitex 2017. Todos os direitos reservados.