Sobre a Colitex

Bem-vindo ao site da COLITEX, a empresa atua no ramo de beneficiamento de borracha natural, produzindo látex centrifugado, borracha natural tipo Granulado Escuro Brasileiro – GEB-10.

A empresa é jovem, foi fundada em 2003, mas já nasceu com a experiência herdada dos seus fundadores, de mais de 20 anos no ramo de beneficiamento.

Certificados

A Colitex Agroindustrial LTDA (unidade Poloni/SP) é certificada ISO 9001:2015, pela APCER. a expressão ISO 9001. A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade para organização em geral, qualquer que seja o seu tipo ou dimensão.


Nossa empresa

A Colitex Indústria e Comércio de Látex LTDA foi fundada em 2003, atuando no ramo de beneficiamento de borracha natural, produzindo látex centrifugado.

Os sócios fundadores da Colitex já atuavam no ramo de beneficiamento de borracha natural há mais de 20 anos.

Em 2007, necessitando expandir suas atividades, para produzir borracha natural do tipo GEB, foi fundada a Colitex Agroindustrial LTDA...

Notícias

Empresa

Os sócios fundadores da Colitex já atuavam no ramo de beneficiamento de borracha natural com ampla experiência no mercado. Havia um sonho compartilhado de criarem uma empresa sólida e de qualidade. Em abril de 2003 foi inaugurada a Colitex, localizada no município de Colina, estado de São Paulo.

No ano de 2007, necessitando expandir suas atividades de produção da borracha natural , fundou-se a Colitex Agroindustrial LTDA. Instalada em uma nova planta industrial com capacidade de produção de 1500 toneladas por mês, área total de 150.000 m² e área construída de 2.500 m², localizada na Estrada Vicinal Mário Gonçalves, km 4.5, Zona Rural, cidade de Poloni, SP.

Em 2020, a unidade de Colina foi transferida para a mesma planta da unidade de Poloni, concentrando toda a produção em uma única planta industrial.

A empresa conta com a produção de seringais próprios, arrendamentos e de terceiros, que fornecem a matéria prima com controle de qualidade mantido por técnicos com ampla experiência no ramo. Com este acompanhamento de manejo, o produtor tem maior segurança, maximizando a produção sem prejudicar a longevidade da cultura, e nossos clientes têm a garantia de um produto com qualidade e de origem sustentável.

Certificação ISO ISO 9001:2015

A Colitex Agroindustrial LTDA é certificada ISO 9001:2015, pela APCER, no seu principal produto: Granulado Escuro Brasileiro (GEB-10)

A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade para organização em geral, qualquer que seja o seu tipo ou dimensão. As empresas certificadas transmitem mais credibilidade para os seus clientes e fornecedores, mantendo parcerias e uma boa relação de negócios.

A sigla ISO se refere à organização não-governamental International Organization for Standardization, fundada em 1947, em Genebra/Suíça e hoje está presente em cerca de 157 países. A sua função é promover a normatização de produtos e serviços, para que a qualidade dos mesmos seja permanentemente melhorada.







Laboratório próprio

A Colitex possui um rígido controle de qualidade, que tem início no acompanhamento da sangria (extração do látex da seringueira), passando pelo correto armazenamento e transporte, na seleção e classificação das matérias-primas em função de ensaios físicos-químicos na fase pré-operacional, no processamento na fábrica, com qualidade certificada através de análises físico-químicas, realizadas em laboratório próprio.

Através da pesquisa e melhoria do produto, a Colitex busca conscientizar os seus fornecedores a preservar a qualidade do látex, exigindo que sejam utilizados agentes conservantes, preparados e fornecidos pela empresa, que visam evitar a contaminação e a biodegradação natural, mantendo as propriedades físico-químicas do látex até a sua industrialização.

Como o uso de informações sobre as propriedades físico-químicas, específicas de cada tipo de material disponível em estoque, ainda na fase pré-operacional, é possível a adoção de medidas de caráter técnico, como maturação, blendagem e adaptações no processo produtivo, aptas a resultar num produto homogêneo, com características capazes de atender as exigências específicas do cliente.

A história da borracha

A Borracha Natural é o produto sólido obtido pela coagulação de látices de determinados vegetais, sendo o principal a Hevea Brasiliensis. Essa matéria-prima vegetal, proveniente da planta conhecida vulgarmente como seringueira, é nativa d Amazônia. Embora seja grande o número de espécies que por uma incisão na casca exsudam secreção de aspecto semelhante ao látex, somente algumas produzem quantidade e qualidade suficientes para exploração em bases econômicas.

O primeiro contato do mundo civilizado com a borracha ocorreu com a descoberta do produto natural, feita por Cristóvão Colombo, na sua segunda viagem ao Novo Mundo, em 1493-1496. Na época, os nativos da América tropical utilizam a borracha apenas para a impermeabilização de tecido de linho, para a confecção de garrafas e calçados sobre moldes de barro e para fazer bolas que eram usadas em jogos. Essa produção se dava a partir do látex, um líquido leitoso exsudado de árvores locais.

Na Inglaterra, em 1823, Mackintosh utilizou a borracha seca - previamente mastigada em uma máquina inventada por Thomas Hancock, em 1820, e a seguir dissolvida em solventes para fazer roupas impermeáveis. Nos Estados Unidos, em 1831, foram fabricados calçados a partir de tecido revestido com uma solução de borracha em terebintina.

Quanto à aparência, esses calçados eram similares aos importados, feitos a partir de látex nas regiões produtoras dessa matéria-prima - O Látex, nessa época, não era exportado, pois ele tende a se coagular espontaneamente e a possibilidade de preservá-lo na forma líquida com amônia só foi descoberta em 1853. Mas, apesar da semelhança com os modelos feitos a partir de látex, os calçados fabricados com solução de borracha sólida mastigada não eram satisfatórios para uso, pois a borracha tornava-se mole com o calor e rígida com o frio.

Esses inconvenientes da utilização da borracha a invenção do pneumático, feita por John Boyd Dunlop em 1888, e o início da produção comercial de veículos movidos a motor de combustão interna, que ocorreu na primeira década do século XX.

Em 1815, Hancock, um serralheiro, tornou-se um dos maiores fabricantes do Reino Unido. Ele havia inventado um colchão de borracha e associado a Macintosh, fabricava as famosas capas impermeáveis "Macintosh". Além disso, havia descoberto e realizava industrialmente o corte, a laminação e a prensagem da borracha. Tinha verificado a importância do calor na prensagem e construído uma máquina para este fim.

Macintosh descobriu o emprego da benzina como solvente e Hancock preconizou a prévia "mastigação" e aquecimento, para obter uma perfeita dissolução da borracha. Hancock descobriu também a fabricação de bolas elásticas. Por fim, Hancock, em 1842, de posse da borracha vulcanizada de Goodyear, procurou e encontrou o segredo da vulcanização, fazendo enorme fortuna.

Em 1845, R. W. Thomson inventou o pneumático, a câmara de ar e até a banda de rodagem ferrada. Em 1850, fabricavam-se brinquedos de borracha, bolas ocas e maciças (para golfe e tênis). A invenção do velocípede por Michaux, em 1869, conduziu à invenção da borracha maciça, depois da borracha oca, por último, à reinvenção do pneu, pois a invenção de Thomson havia caído no esquecimento. Payen estudou as propriedades físicas da borracha, do mesmo modo que Graham, Wiesner e Gérard.

Finalmente, Bouchardt realizou a polimerização do isopreno, entre 1879 e 1882, obtendo produtos de propriedades semelhantes à borracha. O primeiro pneumático para bicicleta foi em 1830. Em 1895, Michelin teve a ideia audaciosa de adaptar o pneu ao automóvel. Desde então, a borracha passou a ocupar um lugar preponderante no mercado mundial.

Em 1876, os ingleses despertados pelo interesse comercial do produto, levaram 70.000 mil sementes de seringueira para a Inglaterra. As 2.700 plantas obtidas no Kew Gardens, em Londres, foram enviadas para o Ceilão, atual Sri-Lanka e para a Malásia e, serviram para a formação as grandes plantações asiáticas, sendo explorada por milhões de pequenos produtores, com áreas de 1 a 5 hectares, tendo na seringueira sua única fonte de renda.

A tremenda demanda de brracha natural no século XIX favoreceu o crescimento das plantações da Ásia. O Brasil, antes que as plantações asiáticas se desenvolvessem, era o principal produtor mundial de borracha de origem silvestre.

O Sudeste Asiático responde hoje por 92% da produção mundial, sendo a Tailândia, a Indonésia e a Malásia os principais países produtores. Atualmente, a cultura estende-se ainda por países da África e América Latina.

Os primeiros registros sobre a utilização da borracha datam do início do século XVIII, quando a nação indígena dos Cambebas já a utilizava, pelas suas propriedades, tais como: Fabricação de botas, capas, bolas, flechas incendiárias e, ainda, para deter hemorragias, cicatrizar ferimentos e proteger-se contra o frio.

Além do crescimento na produção de borracha vegetal, a procura da síntesa química desse produto, assim como a demanda de borrachas especiais, resistentes a derivados de petróleo, ao calor, ao frio e ao ozônio, determinou o aparecimento de inúmeras borrachas sintéticas no mercado.

A primeira borracha sintética fabricada comercialmente surgiu em 1910, quando a Alemanha produziu 2.350 toneladas da borracha química denominada metílica. Depois foram, e são ainda hoje, desenvolvidas inúmeras outras borrachas sintéticas.

Sendo a borracha importante matéria-prima e dado o papel que vem desempenhado na civilização moderna, cedo foi despertada a curiosidade dos químicos para conhecer sua composição e, posteriormente, sua síntese. Desde o século XIX vêm sendo feitos trabalhos com esse objetivo, logo se esclarecendo que a borracha é um polímero do isopreno.

Os russos e os alemães foram os pioneiros nos trabalhos de síntese da borracha. Mas os produtos obtidos não suportaram a concorrência da borracha natual. Somente com a Primeira Guerra Mundial, a Alemanha premida pelas circunstâncias, teve de desenvolver a industrialização de seu produto sintético. Foi o marco inicial do grande desenvolvimento da indústria de borrachas sintéticas, ou elastômeros, no mundo.

Referência GEB-10

ATUAL - DEZEMBRO E JANEIRO R$ 8,12 9,10%
PROJEÇÃO - FEVEREIRO E MARÇO (23/01/2024) R$ 8,17 0,60%

CONTATO

Localização:


Telefone:

Fixo: (17) 3819-1217

Fale conosco


Loading
Sua mensagem foi enviada. Obrigado!